quinta-feira, 29 de setembro de 2022

122ª Compra - GRND3

 Investimento do mês: Grendene ON


Adquiri 44 unidades a R$ 6,87 o exemplar.



Proventos recebidos em agosto:



Composição da carteira:



Desempenho:



Pizza:



Evolução patrimonial (novo recorde):



Histórico de proventos recebidos e aporte (mensal):



    Histórico de proventos recebidos e a receber (anual):



Bom dia, boa tarde, boa noite, estimados amigos! Findamos mais um doze avos do ano e cá estamos para mais uma atualização deste humilde projeto de investimentos.

Nos encaminhamos para o quarto final do ano e tive uma grata surpresa no mês de agosto: novo recorde de patrimônio. No dia 31 de agosto alcancei o patamar de R$ 24.345,13. 

A força compradora prevaleceu e a carteira teve valorização de 10,71%, enquanto o IBOV teve performance de 6,16%.

No tocante aos proventos recebidos, fiquei com aquela demanda reprimida frente ao histórico generoso do mês de agosto. Usualmente, Grendene e Transmissão Paulista costumam remunerar os acionistas neste período, entretanto esse ano foi diferente. 

A Transmissão Paulista havia formalizado que antecipou os dividendos no ano passado e que esse ano não haveriam proventos muito polpudos. Enquanto que a Grendene pagou R$ 0,03 por ação (ano passado no mesmo período ela pagou próximo disso também).

Apesar do provento mais humilde, a compra do mês foi nas ações da Grendene. Meu preço médio estava próximo de R$ 9 e com as compras dos últimos dois meses o valor do custo passou para R$ 8,17. Não descarto novas compras se ela se mantiver abaixo dos R$ 7,50. 

Em termos de fundamentos, o que embasou a decisão da compra foram os indicadores: ROE acima de 15%, margem de líquida de 25%, boa liquidez (mais de um bi em caixa). O fator negativo é que a receita está estagnada há bastante tempo. 



Contudo, a Grendene se mostra uma empresa interessante para ser sócio pois passam-se os anos e, vem crise e vai crise, ela segue entregando resultado:



Para ampliar a receita, a empresa está buscando internacionalização dos seus produtos através de parceria com a 3G Radar (do grupo ligado a Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Sicupira). A proposta é focar em países com maior representatividade no mercado global de calçados. 



Caso as metas da nova empresa (Grendene Global - 50,1% é da 3G Radar e 49,9% da Grendene) sejam alcançadas, a fatia da 3G no capital da empresa pode alcançar até 12%. Atualmente este patamar está em 8,03%.



Não sei se este foi o melhor momento para esse projeto sair do papel, frente as adversidades da economia mundial. Todavia, os momentos adversos apresentam oportunidades e eu penso que a expertise da Grendene e da 3G pode proporcionar resultados promissores para os próximos resultados. Histórico de entrega eles têm. 

Para esse mês era isso que gostaria de compartilhar com vocês. 

Reforço o convite para me acompanharem no YouTube e no Instagram. 



https://www.instagram.com/investidormiserave/


Abraços efusivos, bons investimentos e até o próximo mês. 

quinta-feira, 11 de agosto de 2022

121ª Compra - GRND3

 Investimento do mês: Grendene ON


Adquiri 50 unidades a R$ 7,65 o exemplar.



Proventos recebidos em julho:



Composição da carteira:


Desempenho:


Pizza:


Evolução patrimonial:


Histórico de proventos recebidos e aporte (mensal):


Histórico de proventos recebidos e a receber (anual):


Bom dia, boa tarde, boa noite, estimados amigos! Encerramos mais um doze avos do ano e cá estamos para mais uma atualização deste humilde projeto de investimentos. 

Julho findou e a pressão vendedora deu uma trégua: tive desempenho ligeiramente positivo em 0,94% enquanto o IBOV teve resultado de 4,69%.

No tocante ao patrimônio, encerrei o mês no patamar acima dos 21k, mais precisamente em R$ 21.747,63.

Em se tratando de proventos recebidos, recebi R$ 53,28 que serão integralmente reinvestidos com o aporte do próximo mês. Destaque para Schulz que pagou dois proventos, dia 1º (R$ 28,25) e dia 15 (R$ 12,58). 

Sobre o racional do investimento do mês, optei pelas ações da Grendene devido o preço descontado e histórico de pagamento de proventos. E a própria empresa se identifica como boa pagadora de dividendos, conforme descrito no fact sheet do segundo trimestre de 2022:


O lucro possui certa sazonalidade. Mas existe uma tendência do lucro ser pior no segundo trimestre e melhor no último. 


Com a Selic em dois dígitos e mais de um bilhão em caixa, a tendência é que o resultado financeiro cresça nesse ano. 



Apesar de impactado pela pandemia, o ROE está nos patamares de 15,3%. 


A evolução do patrimônio está com dificuldade de romper o patamar acima dos 4 bilhões. Entretanto, se a empresa mantiver a margem líquida (25%) mais cedo ou mais tarde essa barreira ficará para trás.


Os meses que a Grendene usualmente paga proventos são: maio, agosto e novembro. 


No momento ela possui um plano de recompra de 5 milhões de ações. Esse programa iniciou em 29/07/2021 e vai até 20/01/2023. Isso representa 0,55% do total de ações ou 2,48% do free float. 

Se a cotação seguir abaixo do meu preço médio penso em aumentar a posição nela nos próximos meses. E vocês? Gostam de empresas do perfil da Grendene? 

Para este mês era isso que gostaria de compartilhar. 

Reforço o convite para me acompanharem no YouTube e no Instagram:




https://www.instagram.com/investidormiserave/

Abraços efusivos, bons investimentos e até o próximo mês!


sábado, 9 de julho de 2022

120ª Compra - BBDC3

 Investimento do mês: Bradesco ON


Adquiri 17 unidades a R$ 16,69 o exemplar. 



Proventos recebidos em junho:



Composição da carteira:



Desempenho:



Pizza:



Evolução patrimonial:



Histórico de proventos recebidos e aporte (mensal):



Histórico de proventos recebidos e a receber (anual):



Bom dia, boa tarde, boa noite, estimados amigos! Findamos mais um doze avos do ano e cá estamos para mais uma atualização deste humilde projeto de investimentos. 

E este mês é especial: completo 10 anos do projeto "O Investidor Miserável". Alcancei a marca de 120 compras ininterruptas e um terço do caminho proposto. Sei que o desempenho não está nada satisfatório e que poderia ter comprado BOVA11 ao invés de ter resultado abaixo do índice, contudo seguirei focado na estratégia pois ainda penso que a disciplina vence a inteligência preguiçosa.

Falando em disciplina, o aporte do mês foi nas ações do Bradesco. Frente a cotação descontada, estou antecipando as compras do próximo ano (meu objetivo em 2023 é alcançar 637 ações). Deduzi que estava fazendo um excelente negócio pagando R$ 16,xx no BBDC3 e, para minha surpresa, atualmente a cotação está abaixo de R$ 15. Mas essa é a natureza da renda variável, quem entrar pensando em resultados imediatos vai se frustrar, para obter êxito é preciso paciência e perseverança. 

Assim, com a compra desse mês, faltam 20 ações do BBDC3 para alcançar 637. (637 + 10% de bonificação = 700 ações)

No tocante ao desempenho, frente a queda forte da bolsa minha carteira performou em -9,29%. O índice ficou em -11,5% no mês de junho. Ainda assim me mantive acima do patamar dos 21k.

Os proventos recebidos em junho importaram em R$ 133,68. Isso representa 55% do valor que aporto mensalmente (R$ 242,80). Vai engordar bastante a compra do mês de julho. 

Aproveitando a postagem aniversarística, vou detalhar mais sobre o início do projeto e o que motivou tirá-lo do papel.

Meados de 2011 eu era trader e havia contratado um serviço de um sistema para análise gráfica que custava mensalmente R$ 120. Pagava religiosamente o boleto, mas nunca com o lucro das operações que fazia. Aquele desembolso mensal (sem retorno algum) mais os prejuízos da minha frustrante experiência de trader despertou uma reflexão: "E se eu tivesse colocado esse valor do software em ações?"

Na época esse valor representava 20% de um salário mínimo. Por isso optei por seguir aportando os 20% de um salário mínimo todos os meses.

Paralelo a isso, descobri a blogsfera e percebi que havia um universo de investidores compartilhando seus desempenhos, conquistas e dores. Isso me motivou a desenvolver o meu humilde projeto de investimentos, agora de forma pública. 

Com frequência sou questionado se o valor divulgado aqui é todo o meu investimento. Reforço que o projeto do Investidor Miserável é uma fração dos meus investimentos.

O racional por trás da nomenclatura do "Investidor Miserável" se embasou no tamanho do meu aporte. Como a maioria dos outros investidores da blogsfera aportava cifras expressivas e o meu aporte era o mais baixo de todos (e acredito que ainda segue sendo), no momento não me ocorreu nenhum outro adjetivo para qualificar o projeto. 

Outro fator que motivou o projeto foi a curiosidade. Quanto que 20% ao mês investidos em ações podem render em 30 anos? Muitas pessoas consideram esse valor desprezível (R$ 242,40). Outras não investem por falta de controle financeiro, mas se tivessem disciplina poderiam investir até mais que isso. Então o Investidor Miserável possui um certo "cunho científico" ao mensurar o quanto essas cifras desprezadas investidas em ações podem alcançar no longo prazo.  

E também serve para comparar com o gasto mensal de um fumante (acredito que um fumante gaste até R$ 242,40 por mês em cigarros). Daqui 20 anos saberemos o quanto o valor "investido" em cigarros teria performado, se seria melhor investir no tabaco processado ou nas ações da Souza Cruz (saudades da CRUZ3).

Alcancei os primeiros 10 anos, reforço o convite para seguirem me acompanhando pelos próximos 20. 



https://www.instagram.com/investidormiserave/


Abraços efusivos, bons investimentos e até o próximo mês. 


domingo, 26 de junho de 2022

119ª Compra - KISU11

Investimento do mês: Kilima FIC. Fundo Imobiliário Suno 30


Adquiri 34 unidades a R$ 7,26 o exemplar.



Proventos recebidos em maio:



Composição da carteira:



Desempenho: 



Pizza:



Evolução patrimonial:



Histórico de proventos recebidos e aporte (mensal):



Histórico de proventos recebidos e a receber (anual):



Bom dia, boa tarde, boa noite, estimados amigos! Concluímos mais um doze avos do ano e cá estamos nós para mais uma atualização deste humilde projeto de investimentos. 

Ainda não consegui retomar a prazo de postagem que gostaria, estamos quase encerrando junho e agora que consegui agilizar o post referente o fechamento de maio. Contudo, o importante é não deixar de postar. 

Mas vamos ao que interessa: no tocante ao desempenho, fechei o mês de maio com rentabilidade de +6,16% enquanto o IBOV performou em +3,22%. Atribuo ao resultado superior ao índice a alta das ações do Bradesco (minha maior posição) e da Tupy.

Em se tratando de proventos recebidos, o mês de maio costuma ser bem generoso com o acionista, sobretudo, neste ano não fui tão bem agraciado de proventos quanto nos anos anteriores. Este ano no mês de maio recebi R$ 49,10 enquanto que no ano passado a renda passiva no mesmo mês foi de R$ 182,66. 

O que ocorreu de atípico em maio do ano passado foi o pagamento antecipado dos polpudos dividendos da Transmissão Paulista (que, conforme divulgado pela empresa, a antecipação foi para evitar tributação dos dividendos numa eventual taxação da reforma tributária).

Quanto ao racional do investimento do mês, a compra se embasou em aumentar o rendimento passivo via fundo imobiliário. Com essa compra, consegui um incremento de 1% ao mês no aporte. A estratégia é gradativamente aumentar esse fluxo de proventos com o reinvestimento. 

Sobre o fundo imobiliário, o racional da escolha se embasou num fundo de fundos que segue a carteira teórica do índice de referência da Suno 30 FII. Por entender que a Suno tem um nome a zelar por ser casa de análise, esse fator pesou na decisão.

Entendo que com o fundo de fundos tenho taxa de administração dobrada, uma vez que os fundos imobiliários que compõem a carteira do fundo cobram taxa de administração e o KISU11 também cobra essa taxa. Todavia, como não tenho expertise para analisar os fundos imobiliários compreendo que o custo da taxa serve para remunerar quem faz esse trabalho para mim. 

Abaixo a composição da carteira do KISU11:


Não sei ao certo a frequência que a carteira dos fundos de fundos é disponibilizada ao mercado, mas quem pretende replicar a carteira pode não ser muito bem sucedido pelo fato de que em um único dia o gestor pode desmontar uma posição e derrubar a cotação de um determinado fundo. 

A tendência é que eu siga fazendo nos aportes em fundos imobiliários nos próximos meses. Sintam-se confortáveis para recomendar outros fundos ou compartilharem suas carteiras de FIIs aqui. 

Aproveito para formalizar o convite para me acompanhar no YouTube e Instragram:



https://www.instagram.com/investidormiserave/


Abraços efusivos, bons investimentos e até o próximo mês!

domingo, 22 de maio de 2022

118ª Compra - TUPY3

 Investimento do mês: Tupy ON


Adquiri 15 unidades a R$ 17,14 o exemplar.



Proventos recebidos em abril:



Composição da carteira:



Desempenho:



Pizza:



Evolução patrimonial:



Histórico de proventos recebidos e aporte (mensal):



Histórico de proventos recebidos e a receber (anual):



Bom dia, boa tarde, boa noite, estimados amigos! Encerramos mais um doze avos do ano e cá estamos nós para mais uma atualização deste humilde projeto amador de investimentos. 

Como era previsto, este ano está bem instável e o mês de abril não ficou alheio a isso: IBOV -10,1% e a minha carteira ficou em -5,12%. O Bradesco foi uma das ações que realizaram com força e isso acabou comprometendo o desempenho geral da carteira. 

Esse é o preço que se paga por concentrar boa parte do patrimônio em um único ativo. Contudo, este mês o BBDC3 recuperou, entraram as novas ações da bonificação e meados de julho deve vir o tradicional provento que vai engordar o aporte de agosto. Então isso não vai mudar em nada o objetivo das 1.000 ações do Bradesco e seguirei focado na estratégia.

Ouço muito gente questionando o potencial de crescimento dos bancões frente às investidas da fintches, todavia parece que o mercado está começando a levantar dúvidas sobre o quão sustentável é o negócio das fintechs. 


O Nubank teve prejuízo de US$ 45 mi no último trimestre. A ação está na mínima histórica. Seria uma oportunidade ou armadilha?  

O cenário de inflação alta, inadimplência nas alturas e a alta dos juros americanos vai proporcionar um ambiente desafiador para as instituições financeiras. E vai ser ainda mais desafiador para aquelas que não conseguem entregar valor ao seu acionista, como é o caso das empresas techs, que em sua grande maioria queimam caixa e não dão lucro.

Por isso, vamos focar no que interessa: comprar ações de empresas que não estão nos holofotes e que são lucrativas, que é o caso da Tupy, compra do mês de abril. 

Na minha humilde opinião, a Tupy não é muito bem quista pelo mercado, uma vez que sua natureza de negócio é voltada aos motores a combustão. Num mundo onde a bandeira ESG está cada vez mais em evidência, parece insanidade aportar recursos em empresas que dependam de motores a diesel e gasolina.

Mas por mais que os veículos elétricos sejam uma tendência, os motores a combustão dificilmente perderão mercado, uma vez que os veículos pesados (um dos principais focos da Tupy) não possuem tecnologia para motores elétricos. 

Além disso, o carro elétrico é "verde" depois de produzido, todavia o seu processo de fabricação não é muito ecológico. Paralelo a isso, assim como nas baterias dos celulares, ainda não existe tecnologia para reciclar as baterias dos carros elétricos.

Outra polêmica sobre o carro elétrico refere-se às fontes de energia que vão alimentar a bateria. Como há pouco oferta de energia no mundo, possivelmente, uma das fontes deve ser o carvão mineral, que hoje é a fonte que mais emite carbono.



Uma alternativa para não depender tanto das fontes sujas de energia seria investir em usinas nucleares, que também necessitam de investimentos em energia suja (mineração com minério de ferro e cimento). 

E independendo do tipo de investimento que a humanidade de posicionar, a Tupy colherá frutos, pois onde existe investimento em infraestrutura haverá alguma máquina pesada com motor de componentes fabricados por por ela. A Tupy fornece as principais empresas de máquinas pesadas no mundo e agora com as aquisições da Tesksid e MWM sua abrangência ficará ainda maior. 

Outro fator que motiva o investimento é que a Tupy vai recomprar 4 milhões de ações (2,77% do total ou 7,5% das ações em circulação). A recompra é sempre bem vista pelo mercado e sugere que a administração entende que os preços estão muito descontados. 

Apesar dos aluguéis estarem nas máximas históricas, a força compradora aumentou e a cotação superou o patamar dos R$ 22. Presumo eu que o mercado está enxergando um futuro promissor para a empresa frente aos resultados dos últimos trimestres e as recentes aquisições que ainda não entraram efetivamente no balanço.

Para este mês era isso que gostaria de compartilhar com vocês. 

Aproveito a oportunidade para formalizar o convite para me acompanharem no Instagram e no YouTube. 


https://www.instagram.com/investidormiserave/



Abraços efusivos, bons investimentos e até o próximo mês.