quinta-feira, 30 de abril de 2020

94ª Compra - BBDC3

Investimento do mês: Bradesco ON

Adquiri 143 unidades a R$ 18,62 o exemplar.
* Importante: montante adquirido com venda das VIVT3 + aporte mensal (20% do salário mínimo).

Proventos recebidos em abril:


Composição da carteira:


Desempenho:


Pizza:


Evolução patrimonial:


Histórico de proventos recebidos (mensal):


Histórico de proventos recebidos (anual):


Bom dia, boa tarde, boa noite, estimados amigos! Mais um mês que finda e cá estamos nós novamente para mais uma atualização deste humilde projeto amador de investimentos.

O desempenho de abril deu uma amenizada na forte perda do mês de março. O percentual ficou em +4,48%. O mês de abril foi o primeiro mês do ano que tive resultado positivo. No tocante ao patrimônio, fechei o mês com R$ 13.773,47.

Quantos aos dividendos recebidos, recebi o tradicional provento mensal do Bradesco e juros sobre capital da Transmissão Paulista.

Neste mês tive uma movimentação relevante na carteira: aumentei consideravelmente a posição em Bradesco. Vendi a minha posição em VIVT3 (umas das poucas com lucro) e comprei mais ações do BBDC3.

Entendo que fiquei ainda mais concentrado em um ativo só, porém penso que a cotação está bem interessante e o fator bonificação também foi determinante para tomada da decisão. E pretendo seguir os aportes enquanto a cotação seguir abaixo dos R$ 25.

A ideia é seguir os aportes em Bradesco para alcançar 400 ações até o final do ano e 1.000 ações até 2026. A proposta é adquirir 100 ações por ano. E, se o banco mantiver a política de bonificar os acionistas em 10% em novas ações, o esforço tende a ser cada vez menor no decorrer dos anos:


Estou consciente de que estarei cada vez mais concentrado numa empresa só e que, considerando o pior cenário, a estratégia pode dar um prejuízo considerável. Mas, tentando materializar este pior cenário, acho pouco provável que o Bradesco perca sua fatia de mercado e não esteja entre os maiores players do mercado nos próximos anos. Mas seguirei alerta e se os balanços vierem ruins eu mudo a posição ou diminuo o peso.

Para este mês era isso que queria compartilhar com vocês.

Abraços efusivos, bons investimentos e até a próximo mês.

8 comentários:

  1. Boa tarde, caro Miserável!

    Gostei muito da sua estratégia, ainda mais levando em consideração essas bonificações que o Bradesco oferece anualmente.
    Isso vai de encontro à filosofia do Barsi que sempre colocava metas em nº de ações, com isso os dividendos ao longo do tempo se tornavam cada vez mais robustos e a diversificação ocorreria naturalmente ao longo do tempo.

    Estive pensando justamente nisso, fixar metas em número de ações e ir comprando as empresas dentro de um range de preço.

    Abraços e boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, estimado Colheita de Dividendos!

      Eu acho que faz bastante sentido esta estratégia de alcançar "x" número de ações se o preço estiver até determinado patamar. O inconveniente é que, no meu caso, eu acabo concentrando muito.

      Mas eu penso que temos uma boa margem de segurança com a cotação nestes patamares.

      Abraço e sucesso ao amigo!

      Excluir
  2. Muito bom a aquisição, também comprei. Mas só não gostei do preço que você pagou, chegou a bater 15,xx. Era o melhor momento para entrar. Mas segue o game.

    ABraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de ter conseguido entrar abaixo dos R$ 16 (bumbum da mosca).

      Mas me sinto satisfeito acertando na mosca (abaixo dos R$ 20).

      Excluir
  3. Olá!

    Esse ano as oportunidades estão surgindo, até o final do ano acho que vamos ter mais oportunidades de ações bem baratas. Estou pensando em aumentar as ações de Dividendos na minha carteira, acho que o setor bancário é um dos melhores pra isso, tenho ITSA apenas, estou pensando no Bradesco porque ele paga um pouco todo mês, mas ainda tenho que fazer os estudos das empresas do setor antes de decidir.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bilionário!

      O setor bancário me parece muito perene. Apesar das ameaças das fintechs, eu penso que os bancões ainda vão lucrar muito.

      Abraço

      Excluir
  4. Me lembrei agora de um video que vi estes dias, onde o pessoal estava dizendo que os bancos não serão mais tão lucrativos, por causa dos bancos digitais que não tem taxas. Eu concordo com eles.

    Faz alguns anos que não pago mais taxas pra TED, nem manutenção de conta, nem nada na verdade, por causa das contas digitais que o governo criou uma lei alguns anos atrás, eu fiz uma no Bradesco e outra no Banco do Brasil, desde então usei a do BB.

    Com a queda da SELIC, os fundos de renda fixa não poderão mais cobrar tanta taxa, senão vão ficar com rentabilidade negativa, e o povo tem percebido que não vale a pena confiar no gerente, faz uns 10 anos que a XP tem a campanha pra tirar os investimentos dos bancos e levar para corretoras que tem produtos melhores.

    Por isso o Itaú fez diversas ofertas pra XP até que no ano passado conseguiu comprar, mas pagou caro e ainda por cima as corretoras também estão zerando as taxas...

    O que eu quero dizer com tudo isso é que os lucros e as margens do setor financeiro tendem a ser cada vez menores. É bom para nós que somos consumidores/clientes, mas ruim pros acionistas.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho conta no Nubank e no Bradesco. Até tinha a reserva de emergência no Nubank, mas fico com um pouco de receio pois o Nubank só dá prejuízo. Gosto de não pagar taxas, porém não entendo como esse negócio vai perpetuar no futuro.

      E os bancões estão criando suas próprias fintechs e montando posição naquelas fintechs com potencial de crescimento.

      Concordo que a margem vai apertar mas penso que o resultado ainda vai seguir forte nos próximos anos.

      Abraço.

      Excluir